domingo, 21 de julho de 2013

Eging - Cefalópodes e não só...

Round 1 - Para todos os gostos e feitios


Recentemente tive que me deslocar a Setúbal para ir buscar uma cana que estava para arranjar e como seria de esperar, levei o material para ir aos chocos que, apesar de estar fora de época, há sempre alguns que lá vão aparecendo.
Depois de ter a cana em mão, fui directo ao local para fazer uns lançamentos para testar a cana e ver se os meus amigos pintores lá andavam. Sempre a vasculhar o fundo, os lançamentos iam-se sucedendo mas nem sinal deles...
Vejo alguma actividade na tona da água, com petinga ou tainha pequena a fugir claramente de predadores e ainda tentei a minha sorte (sem sucesso) com um pingalim que tinha na mochila.
Continuo a lançar até que sinto uma prisão e pressão na linha, já tinha algo agarrado ao palhaço! Vou recolhendo e quanto chega à tona, vejo que não era bem o que estava à procura...

Um simpático polvinho fez questão de aparecer e posar para a fotografia, tendo eu agradecido e o libertado logo de seguida para crescer e um dia transformar-se num belo arroz de polvo para muitas pessoas :)
Ele não largava....
...Gostou mesmo do palhaço!
Já mais animado por pelo menos não ficar a zero, continuei a pescar na mesma zona a ver se haveria algo mais para mim. Não demorou muito para ter a minha resposta e finalmente tive o que procurava, um choquinho!
Senti a prisão, recuperei devagar para não se soltar e depois foi só levantar para o recolher, este já esta!
Choquinho tímido
Mas não cuspiu tinta :)
Ainda mais contente por agora ter 2 capturas diferentes no mesmo dia, voltei a vasculhar o fundo. Lançamento atrás de lançamento e eis que algo surge...

Voltei a sentir uma prisão e tensão na linha, mas desta vez sentia uns toques ao recolher, quase um bater... A primeira coisa que me surgiu foi que se tratava de um choco graúdo ou de um polvo que está a puxar para o outro lado. Não poderia estar mais errado!
Tremelga (Torpedo torpedo)
Estava nervosa para poder voltar à água
Uma tremelga!! Vinha presa por baixo mas sem ser na boca, o que me levou a suspeitar que usou a abordagem normal de se sobrepor à presa e "sentar-se" por cima. Por ser uma espécie cujo ataque pode libertar 200v, achei melhor soltar com cuidado o palhaço e devolver à água :)
Estava a correr bem, deliciado com as variedades do dia e volto a sentir outra prisão, conseguindo trazer o choquinho até a minha beira, mas soltou-se quando estava prestes a levantar...
O dia dava agora lugar à noite, o vento frio tentava-me demover e desmoralizar, mas optei por insistir mais um pouco. É o vicio que nos empurra ;)
Essa insistência deu-me mais um mini-polvinho, que pelo tamanho e local até desconfio tratar-se do primeiro que capturei :P
Eles adoram agarrar-se :)
Aqui já estava quase a soltar-se sozinho!
Estava cada vez mais vento e frio, as mãos já quase não as sentia, eu praguejava por não ter trazido o casaco comigo, mas continuava à pesca!
Tive ainda um bom choco preso que consegui novamente trazer até a borda mas no verdadeiro momento de levantar, o sacana soltou-se...
Ainda insisti mais um pouco mas estava cada vez mais tarde e o frio já me tirava do sério, tive que me render e dar por terminada a jornada. Mas iria lá voltar!

Round 2 - Amigos de 8 patas


Não demorou muito a voltar ao mesmo local, mas desta vez para fazer o nascer do dia. Apresentava-se um dia fresco e com uma aragem agradável, ideal para uns lances!
Logo a chegada, com a maré baixa, via-se imensa vida dentro de água, com bastantes nuvens de taínhas tanto miúdas como graúdas. Mas surgiu-me algo que nunca pensei ver... Uma raia (um ratão (Dasyatis pastinaca), talvez?) a passear calmamente à minha frente, com as barbatanas a planar suavemente pela água....Fantástico!!
Depois do momento de pausa para observar a magnifica, retomo os lançamentos e eis que sou visitado por um curioso peixe-porco. Este parecia um pouco indeciso, não sabia se mordia o palhaço ou a chumbada, tendo dado umas mordiscadelas em ambos até se cansar e ir embora :)
Não muito depois, foi a vez de o palhaço ser perseguido sem sucesso por um peixe-agulha.

Quando já passavam umas horinhas e o sol já estava a começar a dar ares da sua graça, num momento em que estou a sentir o fundo e a levantar a chumbada, sinto uma pancada e imediatamente pensei que fosse um ataque. Não me enganei, mas este fazia pressão e estava pesado!
Eu pedia um choco, mas veio um polvo mais graúdo que os anteriores. Ainda tentei fazer um vídeo a libertar, mas ficou mal posicionada a câmara...
Polvo graúdo
"Uma mãozinha para eu voltar para casa?" :)
Podem comprovar agora a fraca tentativa de fazer um video giro :)

Fiquei no mesmo sitio por mais um pouco, a ver se haveria algo mais por ali para além do polvo. Lançamento, palhaço a arrastar pelo fundo e sinto outra prisão, desta vez era um choco! Trago-o para a beira e penso eu "Será que o consigo pux..." e ele solta-se. Bolas!!! Tenho mesmo que pensar em trazer o camaroeiro de 3m para estas pescas...
Depois de sentir o choco e ele ter fugido, insisti bastante e ainda durante bastante tempo até ter outra captura, novamente um polvinho pequenino.
Mais um pequenino
Quase liberto e de volta a casa
Cansado de tentar a sorte aos chocos e não haver grandes resultados, mudei de táctica e alvo. Coloquei um jig (Hart Metal Vib') e logo nos primeiros lançamentos, vi alguma actividade atrás mas não consegui perceber o que seria... Foram necessários vários ataques falhados para finalmente conseguir ver que eram robalotes que estavam a perseguir o jig mas não conseguiam atacar direito :)
Já passava da hora de almoço, o sol estava a torrar e a fome apertava, tive que dar por terminada a pescaria ganhando um escaldão e momentos piscatórios para mais tarde recordar ;)


Cana: Alpha Tackles Evoc Series Marauder Heavy - XH - 3.00m
Carreto: Okuma Trio 40s
Multi: Sufix Matrix 0,23mm
Amostra: Palhaços #3 Rosa e #3 Azul/Laranja da Decathlon
Ler mais »

terça-feira, 9 de julho de 2013

Um regresso às origens salgadas

Depois de algumas aventuras e desaventuras no Tejo, o desafio para voltar a sentir a maresia na cara veio por parte do João. Combinamos ir ao mar quase em cima do joelho mas isso não nos impede, já que temos sempre o material pronto para arranjar.

Conferidas as previsões meteorológicas para a pesca e local em questão, estavam agradáveis. Ao chegar ao local, o João teve uma observação que se revelou fundamental para poder adivinhar uma noite interessante de pesca: "Olha para ali, não há vento, nem mexe uma palha!". Pois é, o mar estava a mexer bem e o vento apenas aparecia em forma de uma leve brisa, uma noite impecável!

Não havia muito por onde errar, o spot escolhido era o mesmo que já tinha dado algumas alegrias ao João e da forma como o mar se mexia, iria dar mais certamente já que as condições eram em tudo semelhantes.

Os lançamentos vão se sucedendo, ora mais para a frente e com recuperações rápidas e lineares, ora mais para a direita com toques de ponteira e a dança das amostras ia acontecendo e eis que digo a brincar ao João  "Vou por esta matadora e vais ver como vou já dar com eles!".
Bem.... Dito e feito, não demorou muito para num dos muitos lançamentos para a escuridão sentir umas valentes pancadas e uns arranques, havia peixe do outro lado!!
A corrente puxava para a direita, o peixe acompanhava e eu tentava controlar tudo na escuridão até que consegui acender a luz e ver onde estava ele precisamente. Nesse preciso momento, vejo que estava a virar para dentro de uma abertura nas rochas perto de onde estávamos e não fui em modas, puxei-o para perto da laje e o João prontamente foi recolher o peixe. O primeiro quileiro já estava!!
Sucesso na escolha da amostra
Voltamos aos lançamentos e num espaço de 30mins havia outro toque para mim mas este não se cravou... Quase 5mins depois foi o João a ter um toque mas também não ficou cravado. Andavam a comer mal, o que eu tirei vinha ferrado por fora e não pela boca como é costume...

O tempo passava e mudamos de táctica, o João foi bater outras pedras e zonas, eu fiquei no mesmo local a ver se o peixe voltava ao mesmo local. Lançamento atrás de lançamento, o pulso já dava sinais de cansaço e o peixe nada, achamos que estaria na hora de terminar este regresso ao sal :)
Ler mais »