quarta-feira, 28 de maio de 2014

Eis o final da jornada

Ao contrário do que alguns estariam a pensar e deduzir o último dia da maratona de pesca não envolve um peixe record mas sim um dia de pesca bem agradável e diferente!

Depois de 3 dias seguidos a tentar a minha sorte, com peripécias como apanhar redes, nadar para libertar amostras, um robalo grande apanhado pelas costas e uma pequena baila, tive o meu merecido descanso no sábado e fui desfrutar um pouco a praia.

No entanto, já sabia o que me esperava no dia seguinte... Uma ida à Figueira da Foz mais precisamente Buarcos, a propósito de um convívio organizado pelo PCA.
A jornada começou cedinho (4h da manhã, dureza...) e mesmo com poucas horas de sono, a boa disposição reinou durante a viagem toda!

Num instante chegamos ao local combinado e tivemos os cumprimentos da praxe - uma bela chouriça assada e um "ice-tea" camuflado de jeropiga (ou era ao contrario?!? Já não sei ehehe)
Quase tudo a postos
"Ice-Tea" e chouriça assada
Foto de grupo da praxe!
Tudo a postos, hora de molhar as amostras! A maré estava a descer, com um mar um pouco sujo mas com boas probabilidades de proporcionar capturas.
A descer para a praia...
...Aqui já se pescava...
...O nevoeiro começava a aproximar-se!
Cada vez mais tapado...!
Depois da aventura pela Costa Alentejana, achei que ali teria uma boa altura para experimentar o colete e ver se não tinha nenhum problema (flutuabilidade, algum defeito de fabrico, sei la...)
Então nada como aproveitar a desculpa de que "ah e tal, olha lá a minha amostra prendeu ali a frente, vai lá soltar" e eu lá fui, todo contente :)
Missão - Busca e Salvamento!

Depois do teste feito e uma vez que já tinha o fato molhado, nada me impedia de tentar ir um pouco para lá da areia, com tantas pedras ilhadas que tinha ali na zona!
Entre pedras e caneiros, cheguei a uma pedra que apresentava espumeiros tanto do lado esquerdo como do lado direito.
Insisto nessa zona com um dos meus vinis caseiros castanho, copia de um lunker city.

Lançamento atrás de lançamento e sinto uma pancada e toques bons, tinha um peixe cravado!! Olho em redor, o nevoeiro estava cerrado e não conseguia ver bem à minha volta, começo a tentar ver por onde o trabalhar quando...


.............Soltou-se.

Ao fim de uns 4 ou 5 segundos de luta, soltou-se!!
Que raiva eu senti naquele momento!!! Mandei umas valentes c@£$%das para o ar de tão chateado que estava, mas nada mais havia a fazer, era insistir novamente mas não deu em nada...
Outros spots...
...Muita pedra por explorar!
A manhã foi-se passando sempre em busca de capturas, "saltando" de pedra em pedra (ou melhor, nadando) como podem ver no video e fotos abaixo :)
Indo eu, indo eu....!
...à procura do robalo....
...Esta é minha!!!
Eu lá ao fundo!


Quase já no final, o leiteiro da casa ainda conseguiu fazer um brilharete com 2 peixes tirados num instante, é preciso ser mesmo leiteiro!!! :)
Leiteiro e peixe #1
Leiteiro e peixe #2
Tirando estes 2 jovens peixes, sairam outros tantos onde um era pouco maior que a amostra e o outro já era maior e vacinado com uns bons 50cm!

Houve ainda para além do meu fugitivo, um robalo mais valentão que arrebentou com tudo, provocando uma nada agradável azia...Como eu percebo!!

Depois disso seguiu-se o momento dos petiscos e convívio bem animado, onde nada faltou e a boa disposição esteve sempre presente!
Cumbíbio!!
Naturalmente depois de tanta energia gasta durante o dia, eu e o João chegamos a casa estafados mas com a sensação de que a missão estava cumprida!
Ler mais »

terça-feira, 20 de maio de 2014

Pesco, logo existo!

Exaustivos. Fantásticos. Salgados. Viciantes. Frustrantes. Felizes.

Descrevo assim os últimos dias onde num total de 5 dias, apenas 1 não fui à pesca.
"És doido!" dizem uns,"Não sei como aguentas...!" comentam outros ou então "Tu não te cansas?" perguntam....

Não, não me canso. Eu não me canso de fazer aquilo que gosto, tenho prazer e deliro com tudo que envolva esta paixão que persigo há anos, dia após dia, lua atrás de lua seja ela cheia, nova ou meio termo!

Esta mesma paixão levou-me a planear jornadas seguidas e intensivas, começando numa quarta-feira e acabando num Domingo.

A primeira investida foi completamente frustrante. O tempo prometia, as previsões estavam boas, o mar mexia bem. Mas a maré de azar perseguiu-me a mim e ao João, quando chegamos ao nosso spot tínhamos (o pouco) areal ocupado com 2 pescadores ao fundo.
Eles com apenas 5 canas conseguiram tapar todos os espaços, lançar pelo meio era difícil com as correntes e vento.
Conseguimos arranjar um cantinho, tínhamos nem 10 metros para pescarmos os 2 entre rochas e a linha de uma das canas.

Para piorar a situação, ao subir a maré um dos inteligentes decide recolher a cana mais próxima de nós e...Colocar ainda mais próximo de nós, quase a passar por cima.
Não demorou muito para haver uma linha presa, dando praticamente o toque de encerramento desta investida. Melhores dias virão!


A segunda investida fiz com o meu primo, um teimoso e sortudo pescador de fundo que ocasionalmente lá cede e acompanha-me nestas andanças pelo spinning.
Procuramos um canto para nós que fosse abrigado porque o vento estava chateado com o Windguru e decidiu não corresponder ao previsto.

Andamos por toda a praia a lançar contra o vento e a recolher as amostras quase à deriva, já noite dentro.
Quando nada fazia prever, ele apenas me diz "Tenho peixe!"
Eu estava com a amostra quase fora e continuei a recolher para ajudar e logo de seguida ele apenas me diz "Porra!!! Não o consigo parar!!" e só aí é que reparei: a cana estava toda dobrada na direcção do fio. O fio saía com grande velocidade e não havia forma de o parar!

Estava ali um valentão!!

Pousei as minhas coisas e fui ajudando como podia, ora apontando com a luz para ver onde a linha e ele se dirigia, ora tentando acalmar o pescador.
A certo momento tememos o pior, quando o peixe se encostou à pedra e ficou parado, nem para trás nem para a frente... Estava ali o fim?!

......
.................


Nãoooo!!!! Ele foi para a direcção oposta, tinha que ser agora senão da próxima podia não correr bem!
O peixe foi cedendo, a enorme quantidade de fio libertado estava de volta ao carreto, faltava pouco...
Quase já aos pés, percebemos o porque de tanta energia: o robalão estava preso pelas costas!
Eu desci as rochas para o ir cobrar, ele não colaborava e insistia em não colocar a cabeça de fora para o agarrar.

Não há qualquer problema, levou um abraço meu e assim o levei rocha acima :)
Estava ali um record batido!! Há maiores no mundo, mas para ele foi o que mais pica deu e subiu a fasquia para um bom patamar...!
A besta dominada, ainda com a amostra no lombo
Senhor robalo
O peixe deu-nos energia e vontade para continuar, mesmo com o vento desfavorável e desconfortável.
A persistência acabou por me premiar a mim com mais uma baila este ano e livrar-me da grade quase garantida, desta vez atirou-se a um black minnow.
Baila e black minnow
Não tivemos mais acção até a hora de ir embora, já bem para lá do habitual. Mas o que seria uma grade para os dois, acabou por se revelar num record batido.
Os maiores :)




A terceira investida foi fora da nossa zona de acção. Destino: costa alentejana!

Consegui meter a sexta-feira de férias e livre para poder desfrutar uns cantinhos fantásticos que a nossa costa proporciona!
O roteiro começou numa paragem nas bifanas para aconchegar o estômago e logo de seguida porto covo.
As belas das bifanas!!
São Torpes - Porto Covo
A partir daí, cada canto era um delírio para os olhos, não sendo possível passar para palavras e fotos metade daquilo que se vê ao vivo por esta nossa costa abaixo...
Vou deixar para já algumas das fotos que tirei desde Porto Covo até Almograve, desfrutem :)











Passando a coisas mais sérias, hora de pescar chegou quase na hora do sol ir embora, uma boa hora para tentar a nossa sorte.

....Sorte? Tivemos tudo menos isso....

As nuvens negras trouxeram chuva e trovoada, sendo a segunda bem mais preocupante. Felizmente parou muito antes de começarmos a pescar. Mas o mal já estava feito...
Chuva e estrada quente, água a evaporar...
A chuva trouxe lama e águas barrentas, apenas um pouco mais afastado se conseguia água limpa.
O primeiro lançamento nessa zona serviu apenas para verificar que havia uma rede ilegal a tapar toda a zona. Amostra presa, lá foi preciso nadar para a safar...
Em acção de pesca...
...E acção de salvamento!
O tempo não pára, o dia chega ao fim...
Mudamos de sitio, agora mais afastados daquela zona.
Meia duzia de lançamentos, os dois presos novamente. Agora foi uma corda....
Outro mergulho, já com o sol posto e noite cerrada.

Mudamos para uma zona de areia, tudo cheio de algas soltas.

Fomos um pouco para o lado e lá está novamente uma amostra presa na pedra.
Mais um pouco de natação e foi rápido o consenso sobre o que fazer: vamos mas é para casa!!


A última investida foi depois de um dia de descanso (merecido) bem passado na praia, mas essa última já terá que ser noutro post... ;)
Ler mais »

terça-feira, 6 de maio de 2014

Después de la primera....

....Viene la segunda!

Antes de lá chegar, vou recuar um pouco no tempo e recuperar alguns momentos passados.

Apesar de ainda não estarem a entrar com força, as grandiosas corvinas já vão dando o ar da sua graça com arranques de levar à loucura de quem assiste e vive esses momentos, surgindo aqui e ali relatos de algumas capturas (e algumas rupturas) significativas.

Como passou a ser habitual comigo se não dá para ir ao mar, fica-se pelo rio!
Numa das curtas e esporádicas investidas que tenho feito, já consegui por a cana a tremelicar com um xarroco que posou para a foto e foi prontamente libertado.
Primeiro xarroco do ano - Big Hammer
Sempre de olho à espera de uma abertura nas previsões, fui-me entretendo a vinilar em alguns spots interessantes de passagem das matulonas.
Ainda sem sucesso.... Mas a paciência é uma virtude assim como a persistência e juntas irão dar frutos!
No entanto, apesar do troféu máximo do Tejo ser bastante aliciante e alucinante de capturar, onde realmente me sinto bem é perto do mar e contra isso não há nada a fazer...

Foi preciso esperar um pouco para que tal viesse a acontecer, onde finalmente apareceu a desejada abertura aliada a uma maré numa hora boa, tal como se gosta!

Uma troca de mensagens rápidas com o João e em menos de 15mins após um jantar devorado em tempo record estávamos a caminho!
Tudo batia certo com as previsões, cada vez mais nossas aliadas para saber quando será melhor investir ou não.
Canas montadas, vadeadores vestidos, bolsa à cinta e vamos lá que se faz tarde!

Como o vento estava a chatear de lado, tínhamos que esperar algumas pausas para lançar sem problemas, caso contrário poderia dar mau resultado... Lançamento vai, amostra vem e já perto da viragem da maré, sinto um toque mas sem ficar ferrado!
Comento com o João que tinha tido um toque, se calhar ainda vamos apanhar alguma coisa!
Recolho calmamente, não fosse voltar à carga mas ao chegar pude verificar o que se tinha passado... Uma escama, espetada na fateixa! O ataque tinha sido falhado? Ou teria sido uma taínha ou algo semelhante que estava de passagem...?

Nada como insistir, agora com a ideia de que poderia lá andar alguma coisa interessante.
Troco de amostra, coloco uma "nova" amostra que divide opiniões, uns dizem que não presta para nada, outros afirmam a pés juntos que é fantástica.

Uma Maria La Segunda 115, que já foi apelidada de "gradeira", "amostra corcunda" entre outros nomes menos próprios e simpáticos :)
Eu? Quero é que ela faça o que lhe compete que é apanhar peixe e se não apanhar muda-se para outra qualquer, igual às outras :)

Estava a sentir a amostra a trabalhar quando não muito longe de mim tenho um ataque e mesmo sem luz, vejo o peixe a debater-se à superficie, algo fantástico de se ver!

Peixe lutador, não muito grande, puxo-o para cima e estava feita a primeira captura da noite, uma bela baila!
Tinha acabado de pousar o peixe para poder retirar a máquina e depois libertar, quando ela começa a saltar que nem uma louca e no meio desses saltos, uma das fateixas atravessa as guelras de uma ponta à outra...
Esta já era, eu bem queria libertar mas assim....
A baila e La Segunda
Foi preciso mais 1h até haver novamente actividade, desta vez calhou ao João uma pequena baila que foi rapidamente libertada para poder crescer :)

Pequena baila libertada
Sem mais actividade, demos por encerrada a nossa jornada com a sensação de que certamente em breve haverão melhores noites....!
Hora de ir embora - "Tira-me lá uma foto!"
Ahhh e nada como chegar ao carro e arrumar as coisas sem um grão de areia para chatear, isto assim é um luxo!! Se fossemos malta do dakar, a história já era diferente eheh :)
Ler mais »