segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Tudo ao contrário!

São várias as vezes que vamos à pesca a pensar que vai ser apenas mais uma pescaria normal.
Faz parte, ao fim de algum tempo já sabemos o que a casa gasta e com o que podemos contar. Mas então, será que ao fim de algum tempo já nada nos surpreende?

Errado! Ainda há momentos que nos deixam de mãos na cabeça a pensar "como raio isto aconteceu?!"
Ainda bem que assim é, ninguém gosta de rotinas :)

Relativamente à pescaria em si, começa com um mar desajeitado e nada simpático. Uma ondulação irregular, com ondas cruzadas vindas de várias direcções não deixava trabalhar as amostras à vontade, sendo necessário acelerar um pouco a recuperação ou pescar mais pesado.

Sondamos o pesqueiro com as amostras habituais, mas do peixe nem sinal. Eis que o Grigas diz que vai desgradar uma Maria Duplex. E eu ri-me, como em tantas outras situações que alguém diz "vai ser agora".
Primeiro lançamento, recupera a amostra com toques e de repente... "Olha olha, tenho peixe! Mas está a bater de forma estranha...."

Eu recupero a minha amostra e fico a aguardar pelo peixe, para o recolher. Mas não via peixe nenhum... Dizia o Grigas que estava mesmo a minha frente, mas eu não via nada! Até que vejo algo castanho na água. Pareceu-me um choco, talvez um polvo, mas nada de prateado!

Uma melhor e mais cuidada observação e eis que vejo um.... Linguado.
O desgraçado do Grigas apanha ao primeiro lançamento, com a amostra que disse que ia desgradar (e desgradou), um linguado! Qual é a probabilidade?!

O linguado roubado!
Grigas, por esta não esperavas tu!
Olhó linguado fresquinho!
Rimo-nos da situação e ficamos parvos durante um bom tempo, foi algo mesmo fora do comum....!
Durante o resto da pesca, de vez em quando lá vinha um "isto hoje está mar de linguados!!" com uma gargalhada logo de seguida :)

Continuamos a pesca, mas sem sinal deles. Insistimos, trocamos amostras por vinis, vinis por afundantes, afundantes por flutuantes... Nada.
Já ponderávamos ir embora quando o Grigas diz que sentiu algo na amostra mas não ficou. Eu tinha acabado de recolher a amostra e disse "Sentiste toque? Então vou já pôr aqui esta amostra e trato já disso!"

Lançamento longo, algumas maniveladas e.... Temos cabeçudo!! Luta bonita, controlada e peixe recolhido. Um belo robalo, possante e cheio de fibra fez-me ganhar a noite.
Valentão!
Sem estica-o-braço :)
Mas não ficou por aí a noite... Cerca de 30mins depois da minha captura, tenho outro ataque! Este era claramente mais pequeno e a luta não se prolongou muito. Não tinha tamanho para levar para casa, então depois da foto voltou para a água. Mas algo chamou à atenção antes de voltar para a água...
Robalote gordinho
O robalote estava de barriga cheia e ao retirar a amostra vejo um rabo de peixe na boca do robalo. Que raio o gajo tinha na barriga?!
Com o alicate puxo pela cauda do peixe e.... Um carapau. Um robalo com uns 38cm aproximadamente, engoliu(!!!) de cabeça um carapau de 16/18cm. E ainda se foi atirar a uma amostra de 16cm!!!
Robalo e...Carapau?!
Carapau bem grande!
Maior que a amostra!!!
Surreal, completamente surreal! Já tinha apanhado um robalo com polvo na barriga, bastantes com pilado... Mas nunca com um carapau!
Certo é que depois de retirar o carapau, o coitado ficou de barriga vazia para a água. Pode ser que aprenda a não ser guloso :)
As capturas da noite :)
Do bucho do grande
Há noites que realmente são fora do normal.... Tudo ao contrário! :)
Ler mais »

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Robalos de D.Sebastião

Nunca fui muito bom a História nos tempos de escola, limitando-me sempre a memorizar datas e sequências de eventos mas nunca liguei muito a essas coisas dos reis e rainhas, quem matou quem e afinal quem era o pai da criança. Mas se há uma lenda que me lembro e todos conhecem é a de D.Sebastião com as suas aparições em dias/noites de nevoeiro...

Ora como eu disse anteriormente, de História não percebo muito, mas de pesca ainda sei uma ou duas coisas! E por falar em pesca e história, esta começa como tantas outras, uma aberta surge nas previsões e em 2 tempos eu e o João combinamos uma pescaria. Até aqui tudo bem, tudo normal...

Começamos a nossa pesca à hora prevista, sempre sem saber o que nos esperava pela noite fora. Seria noite de pescaria a sério, ou mais uma grade?

Certo é que estava uma noite fantástica, uma pequena mas incerta brisa ora abafada e húmida, ora fria e seca. O mar bem espumado, mas com pouca água... As amostras faziam viagens de ida e volta, mas tinham sempre com o mesmo número de passageiros no regresso - zero.

Mudamos de spot, o mesmo cenário. População de robalos na zona? Zero.

E eis que chega a mudança. A incerta brisa dá lugar a um vento certinho mas frio e com bastante humidade. Ao longe a bruma aproximava-se e a noite agradável tornava-se um pouco desconfortável com o passar do tempo...

Quando demos conta, estávamos cercados por um espesso nevoeiro, cerrado ao ponto de quase não dar para nos vermos um ao outro a uns 20metros de distância! Por 2 ou 3x foi necessário acender a luz para ver onde estava o outro!

Estava tamanho nevoeiro que perdemos por completo os pontos de referência e quando isso acontece, as pedras que tão bem conhecemos tornam-se um perigo eminente! Essa ausência de referências fez com que o João num lançamento mais "torto" acabasse por apanhar uma pedra que raramente acertamos mas como estávamos a "pescar no escuro"... Tentou e tentou e voltou a tentar soltar a amostra mas acabou por partir a linha e a amostra lá ficou...

Mas nevoeiro civil não assusta pescador e continuamos a pescar. Mas onde raio estava o peixe? Porque não dava sinal? Como as condições mudaram para uma visibilidade quase nula, achei que não fazia sentido o uso de amostras com brilho. Um pouco de rattling talvez ajude o peixe a localizar a amostra...

Não há milagre na pesca, mas diria que ajudou pois depois de trocar de amostra não demorou muito a ter o primeiro robalo ferrado e de bom calibre! Uma boa luta, sempre a cansar o peixe ao longe para depois o recolher. E aí estava o primeiro da noite tapada!

O primeiro da noite!
Assim está melhor!
Mais uns quantos lançamentos e alguns minutos passaram quando volto a sentir peixe e mais uma boa captura!
Mais um bom robalo
Tudo molhado....
...Mas que se lixe!!
E tão rapidamente apareceram, como desapareceram... No meio do nevoeiro....E nunca mais se viu robalo nessa noite...!

A única coisa que se viu foi a amostra que o João tinha perdido no meio do nevoeiro, à deriva bem encostada à areia :) Afinal, até nem correu muito mal!!
Ler mais »

sábado, 24 de setembro de 2016

Gang reunido!

A vida nem sempre nos permite conciliar as idas à pesca com os horários e responsabilidades diárias, sendo preciso fazer uma grande ginástica de gestão e logística.
E foi precisamente graças a essa ginástica que conseguimos juntar o gang todo (para quem não conhece, a Team Bobadela) para uma pescaria à maneira!

Combinamos ponto de encontro e à hora certa lá fomos nós - João, Grigas e eu -  após tanto tempo para uma noitada atrás dos robalos. Claro que as viagens são sempre uma coisa alucinante.... :)

Boas condições, a bater certo com as previsões e normalmente quando isso acontece...

Não demorou muito para o João enganar o primeiro, mas era pequeno e voltou para a água. O aviso estava dado....

Passaram uns 15 mins e tenho o meu primeiro ferrado, um pequeno robalo veio para a foto e voltou para a água :)
O primeiro da noite!
Selfie!!!
Nem 20 minutos passaram, levo uma valente trancada e o carreto começa a zumbir!! A cana verga bem e fica difícil travar a locomotiva que estava do outro lado! Difícil... Mas não impossível!...

Calmamente canso o peixe ao largo, vou recuperando linha e puxando o peixe para perto mas ele decide armar-se em esperto e foge para as costas de uma pedra. Porra....!

Com a linha a roçar na pedra, levanto a cana o máximo que consigo, ponho-me em bicos de pés e folgo a linha, só o suficiente para não fazer pressão na rocha, enquanto as ondas iam empurrando o peixe para o outro lado da rocha... Devagar.... Está quase e..... Já está!

Linha com tensão máxima novamente e trato de puxar o espertinho para perto, onde o Grigas lhe consegue deitar a mão. Enorme! Dos peixes que mais pica me deu tirar, foi fantástico mesmo!!

Grande boca...
Grande lombo....!!
Grande robalo de 2,700kg :)
Vim mais tarde a confirmar que era um valentão de 2,7kg. Perto dos 3kg, mas ainda não foi desta que consegui essa bitola... Um dia lá chegarei :)

Continuando a noite, 5 mins depois tiro mais um robalo quileiro que parecia um menino, depois do anterior... ;)
Robalo quileiro
Está a correr bem...!
Entretanto o João passa para outro sitio e num instante, tira 2 robalos de bom calibre... As coisas estavam interessantes. Então... E o Grigas?

Ele não dorme, também tratou de enganar um bom robalo logo depois do meu!
Robalo do Grigas!
Depois destas capturas, o peixe pequeno entrou no pesqueiro e mesmo não sendo peixe para reter, é sempre divertido e entusiasmante sentir peixe a bater!

No espaço de 2h, fiz mais 5 robalotes e o Grigas fez mais 2, todos devolvidos à água. Apenas o João tirou mais um bom robalo!
Robalote #1
Robalote #2
Robalote #3
Robalote #4
Ensaio fotográfico...
Robalote do Grigas
Robalote #5
Experiência fotográfica
Experiência fotográfica #2
Demos por terminada a pesca quando se deixou de sentir peixe e contabilizamos as capturas: João fez 4 capturas, com 3 retidos, Grigas fez 3 com 1 retido e eu fiz 7 com 2 retidos. Nada mau mesmo!

Apenas me lembrei no dia seguinte, mas teria sido uma bela altura para tirar uma foto dos 3... Mais ainda, porque tinha sido o meu aniversário no dia anterior, teria dado um toque fantástico! Apenas tirei uma foto a uma certa e famosa caixa, com as capturas do João. Lapso meu, terá que ser resolvida esta questão em breve... :)
A famosa caixa!
Mas não ficamos por aqui...


---------------------------

No dia seguinte e como é costume, eu estava de mau humor. É inevitável!

Dormi pouco, acordei cedo e ainda por cima os outros 2 manjericos gozaram comigo porque acordaram tarde e a más horas.... Ora, nestas condições, só dá mesmo é para os mandar para um sítio bem longe e feio :)

Já não sei quem foi que o fez, mas alguém lançou para o ar a ideia de lá irmos novamente. "Estes gajos estão malucos..."
Eu estava de rastos, cansado e arrasado. Disse que não. "Não vou. E não vou!...Nada disso, esquece.... Ok pronto, passa lá em casa..."

Lá fomos nós ver se a actividade ainda estava alta, mas desta vez as coisas mudaram...
A actividade baixou bastante em relação à noite anterior, mas o calibre estava igual: pequeno!

O João ainda enganou 3 peixes, apenas sendo retido 1 robalo. O Grigas sentiu o peso da grade e eu lá me safei com 1 robaleco já no limite do "como é, vamos embora?"

O safa-grades!
Pequeno guloso...!
Não foi das melhores noites, mas mantivemos o nosso "lema" - Team Bobadela não grada!
Ler mais »

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Madrugar assim é que é bom!

Na pesca há bastantes teorias, várias opiniões e muita conversa da treta. Mas se há coisa muito importante a ter em conta, é saber adaptar.
Adaptar não significa mudar de amostra ou linha só porque alguém o diz, não significa mudar de cana e carreto sempre que a moda muda...
Na pesca, adaptar significa ter capacidade de mudar hábitos. E isso é difícil, porque se há coisa que a pesca tem, são hábitos. E cada um tem o seu!

Chamemos-lhe manias! Há quem tenha a mania de pescar só com vinis, há quem tenha mania de pescar só durante o dia, há quem tenha a mania de pescar noite dentro e há ainda quem tenha a mania de apenas ir à pesca quando ouviu zum-zums de que saiu peixe...

Manias à parte, no meu caso em concreto tenho a mania de apenas pescar quando está bem escuro, noite cerrada, com um céu bem cheio de estrelas!

Mas recentemente, tive que mudar hábitos. As marés e previsões a isso me obrigaram e como tal, tive que ceder...

A primeira pescaria que vos relato começou cedinho, bem escuro. Tal como eu gosto!

O primeiro lançamento é sempre o que mais anseio, por trazer normalmente boas noticias. Mas será que é mesmo assim...?

Nesta noite o primeiro lançamento trouxe-me um peixe jeitoso, levando-me a pensar que tinha pela frente mais uma noite "daquelas"!

O primeiro da noite!
Ri-te ri-te...! :)
Mas o segundo, terceiro e seguintes lançamentos não tiveram frutos... Troca de amostra, mais alguns lançamentos e cá está outro, mas mais pequenote. Água com ele, vemo-nos daqui a uns tempos!

Volta para a água pequenote!
Mais uns quantos lançamentos, já com outra amostra e estava outro ferrado! Nada mau, 2 peixes retidos e 1 libertado!
E aqui está outro...!
Depois, parou. Simplesmente, parou a actividade que até estava mais ou menos certinha! Nada de toques, nada de capturas... Nada, nada, nada!
Ia rodando as amostras, sem sucesso, até que me lembrei de mudar algo... A forma como estava a trabalhar a amostra.
Mudo de amostra, faço 10 lançamentos e recupero como costumo recuperar. E depois mudei, passei a recuperar rápido e com puxões energéticos. E não é que funcionou?!

O manhoso...
...Manhoooooso!
Mas foi por pouco tempo, não voltei a sentir peixe e quando o dia nasceu, achei que estava na hora de ir embora, a pesca estava mais que feita. Foram 4 peixes capturados, com 1 libertação... Nada mau! Apenas faltava a foto da praxe!

Momento quase-selfie!
As capturas de perfil...



---------------------------

Contei o sucedido ao João e ele ficou em pulgas, desafiando-me logo para mais uma investida. Eu estava todo estourado por ter dormido poucas horas, mas pesca é pesca... E eu adoro!

Acertamos horas, uma sesta antes da investida e rumamos ao pesqueiro. Logo no primeiro lançamento o João tira um robalo, novamente levando a crer que andavam lá a montes. Não era o caso...

Apenas passado uns 20mins tive o primeiro ataque e captura, mas era pequeno. De volta à água, mas só depois da foto!

O meu primeiro da noite
Uns 10mins depois levo uma boa pancada e o carreto canta a bela música do Zzzzzzzz, estando na outra ponta um bom robalo a passar os 2kg! Lindo, lindo!

DUO a facturar um bonito robalo
Ah valentão!!
Enquanto eu insistia num spot, o João passou para outro e não demorou muito a tirar mais 1 bom robalo. E logo de seguida outro mais pequeno... E eu a vê-los passar...
Demorou um pouco mas não fiquei quieto e tirei mais um robalo!...

Mais um jeitoso!
Volta o João a tirar outro bom robalo e o tempo passava, o dia quase a nascer significa que a pesca está a terminar. Mas até esse momento chegar, ainda há hipóteses e foi o que aconteceu!

Em 15mins tirei outro robalo valentão com quase 2kg e outro pequeno para devolver à água. O Sol começa a nascer e... Acabou.

Grande, grande...!
Olhó peixinho!
E mais um robalo, para libertar...
...Mas antes, fica para a foto!
Tínhamos a pesca mais que feita, era hora de descansar o esqueleto e ir para casa, tomar um bom banho e lavar o material cheio de salitre.
Mas como bons estarolas que somos, registamos o momento em fotos, para mais tarde recordar :)
As capturas do João!
Tudo de perfil!
Sorrir pela manhã... :)

E que bom é madrugar assim!
Ler mais »