quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Achigãs no Paraíso!

 Olá a todos!

Desta vez trago-vos não 1, não 2.... Mas 4 relatos de uma só vez! Só porque estão todos relacionados e foram todos seguidos, claro! :)

4 dias de pesca dedicados aos achigãs tanto a pescar de pato como da margem, com vento e chuva, sol e nuvens. Uns dias mais complicados que outros... Mas isso já vão saber mais abaixo!

São relatos um pouco extensos, mas com tanto peixe capturado e durante tantos dias, penso que é compreensível :)

Caso não estejam muito virados para a leitura, podem saltar para o fim do relato e assistir ao vídeo resumo! ;)

################################

Dia 1

Depois de fazer uma viagem longa mas tranquila, a expectativa e ansiedade estava em alta e obviamente tinha que ir fazer uns lances. Ainda ponderei bastante se ia ou não, já que as previsões não estavam muito amigáveis. O Outono tinha acabado de chegar...

Mas a vontade de pescar fala mais alto que tudo o resto e lá fui eu, rumo a um spot que aos poucos vou conhecendo os cantos.

Pato cheio de ar, canas preparadas, barbatanas enfiadas nos pés e lá vou eu!

Pato pronto, vamos lá aos achigãs!

Fui experimentando cranks, spinnerbait, alguns passeantes mas sem sucesso. Com baixa actividade traduzida em nenhum ataque, aproveitei então pescar mais lento e dar hipótese a algumas técnicas que pouco costumo utilizar (erradamente) mas que são eficazes nessas situações.

Coloco um jig com um atrelado tipo lagostim e ao fim de uns 10 lançamentos, eis o primeiro ataque!

Uma boa luta, a puxar bem pela cana com um ou dois arranques mais fortes, mas esse já tinha o destino marcado - ir para dentro da rede!

O primeiro da jornada

Belo achigã de 700gr

Estava feito o primeiro achigã e soube bem. É um alivio enorme nesta pesca quando se faz uma boa captura, quase como a dar um sinal de que é esse o caminho!

Continuei a dar à perna, a experimentar jigs, vinis, ocasionalmente dropshot mas a única coisa que apanhava naquele instante era... Chuva. Muita, mas muita chuva. E eu dentro de água com uns calções de praia!

Mas já se sabe, se é para pescar então é para pescar. E eu lá continuei a pescar!

Já mais para o final da tarde, vou tentar a sorte num cantinho que anteriormente provou ser um hotspot para os achigãs. E não me enganei.

Lançamento em direção à margem, jig a saltitar pelo fundo na minha direção e... Já está, mais um!

Mais um achigã com jig

Foram precisas quase 3h para voltar a sentir peixe. Mas foi um tiro certeiro, porque passado nem 5mins, já estava outro cá fora!

O terceiro achigã do dia!

Novamente, capturado com jig

Peixe desferrado, volto a lançar e... Mais um!! Mas este acabou por se desferrar num salto acrobático. Foi a sorte dele, senão eu ia-lhe tirar a fotografia para o cadastro!

Procurei esticar ao máximo este primeiro dia de pesca, mas com os dias cada vez mais curtos, tive que aos poucos ir me deslocando para a margem senão ainda ficava às escuras no meio da água :)

Pouco faltou.... :)

Fim do dia, já bem escuro!

Estava assim feito o primeiro dia, com 3 capturas jeitosas (peixes a rondar as 700gr e todos com 38cm), nada mau para quem nunca apanhou peixe com jig e já não pescava desde Junho!

Venha o dia seguinte!

################################

Dia 2

Segundo dia, nova aventura!

A sessão de pesca à chuva no dia anterior não foi propriamente agradável, apesar de até gostar de pescar à chuva - mas quando estou preparado para tal!

Tentei descodificar as previsões para perceber se estaria vento e/ou chuva, e acabei por não arriscar pescar de pato, mas sim de margem. Sempre é uma abordagem diferente e permite dar algum descanso às pernas!

Depois de almoço volto ao mesmo spot e deparo-me com um cenário complicado... Algumas nuvens e bastante vento, que ora estava pelas costas, ora estava de frente. Bem, já lá estava por isso mais vale tentar a sorte!

Material de margem pronto

Acho que não terá demorado mais do que 30mins para (novamente com jig) voltar a ter um peixe ferrado! E tão rapidamente tinha peixe, como deixei de ter.... É acabou por desferrar quase de seguida.

Palavrão para fora da boca, siga a pesca!

Insisti mais um pouco no mesmo cantinho, mas sem grandes resultados à vista, fiz-me ao caminho e comecei a procurar novo spot pela margem fora.

A única coisa que encontrei foram alguns cagados que timidamente emergiam e 2 ou 3 segundos depois de se aperceberem que eu estava ali, voltavam a descer.

As horas iam passam e volto ao sitio inicial, a ver se tinha melhor sorte. E mais uma vez foi uma escolha acertada, pois em 25mins tirei 2 peixes jeitosos e estava feito o dia!

Primeiro achigã do segundo dia

O jig continua a dar resultados

Foram ataques fantásticos, quase idênticos e no mesmo jig que no dia anterior tinha dado resultado. Acredito que tivesse ali um padrão...

O segundo é quase igual ao primeiro!

Coitado, faltava-lhe uma barbatana...

Dois belos achigãs a safar o dia, peixes novamente de umas 700gr e à volta dos 38cm.

Uma pequena curiosidade que só reparei mais tarde. O segundo achigã capturado não tem a barbatana lateral. O que poderá ter feito aquilo...?

Siga para o dia seguinte!

################################

Dia 3

Este dia foi simplesmente para esquecer... Acordei com umas dores de costas horríveis, praticamente não me mexia, estava completamente empenado!

Falei com uma tia que estava lá por casa e acabou por me marcar uma consulta com um osteopata. Problema? A consulta era as 20h30...

Solução? Já que tenho o dia livre, vou fazer um pouco de exercício e apanhar ar puro que me faz bem - sim, fui à pesca!

Voltei a fazer uma pesca de margem, mas para além de perder um peixe logo ao início, acabei por não sentir mais nada o resto da tarde... A não ser algumas dores.

E pronto, lá foi a primeira grade, muito sofrida :)

Mas o dia seguinte estava reservado para ser em grande....!

################################

Dia 4

Quarto dia, último dia para pescar, de dar o tudo por tudo!

Bem cedinho, fiz-me à estrada que ainda tinha uns bons kms para percorrer. É uma viagem bonita, mas bonito bonito é estar dentro de água a pescar :)

O dia estava bastante ventoso, ia ter de dar bastante à perna. Mas o que tem que ser, tem que ser!

Nas primeiras horas não senti nada, de maneira nenhuma. Spinnerbaits, jigs, vinis, whopper ploppers, jerkbaits... Nada chamava à atenção e dava-me a primeira alegria do dia.

Como o vento estava forte, a estratégia foi bater água com spinnerbait enquando dava à perna contra o vento. E depois fazer o sentido inverso à boleia do vento, mas com jig.

E eis que num lance para zona de ervas levo uma mocada forte e começa uma verdadeira batalha!

Por duas vezes a ponteira ficou bem mergulhada dentro de água, toda dobrada! Mas acabei por levar a melhor e consegui por o primeiro e belo achigã dentro da rede. Grade já não era!

O primeiro valentão do dia!

Um belo achigã quileiro

Um bonito peixe quileiro a dar cabeçadas e arranques... Que mais poderia eu querer?

Ora lá está, outro igual!

Ao fazer o percurso de regresso optei, como tinha dito anteriormente, por usar o jig e bater zonas rochosas mais ingremes.

Num lance diretamente para uma ponta, levo mais uma pancada seca, ferragem feita e meto-me noutra luta fenomenal!

Valentão #2 que gostou do meu jig!

Achigã quileiro ao jig

Outro peixe de bom calibre, igual ao primeiro do dia. Nada mau, a manhã estava a correr bem!

Manhã é como quem diz... Pois ja eram 14h e tinha que comer qualquer coisa. Pequena pausa para um lanche reforçado, beber água e levar o pato para outras margens, em busca de outras zonas para bater.

Pequena pausa para repôr energias

Novamente de volta à água, o vento durante a tarde parecia endiabrado. Houve inclusive alturas que tive que me encostar à margem só para não perder metros que já tinha dado à perna!

Lá acabei por me encostar numa zona mais protegida e consegui fazer mais uns lances de spinnerbait.

Do que me tinha apercebido, estavam abrigados perto das ervas, logo não perdi muito tempo em zonas sem essas condições.

E foi uma boa aposta, já que ao fim de 1h sempre a dar à perna contra o vento, veio o terceiro achigã do dia! Parecia maior, mas percebi que o peso era das ervas que vinham junto :)

Bonito achigã que foi a terceira captura

Capturado com spinnerbait

Um achigã mais pequeno, mas lutador na mesma! E se 3 achigãs já era bom, então....

Então e se for um achigã com força suficiente para me fazer dar uma volta de 360º no pato?!

Bastou um lance para (lá está...) uma zona de ervas, algumas maniveladas e levo uma pancada forte. Um salto acrobático bem perto de mim, e começa a diversão!

O peixe afunda com força e a puxar para o lado esquerdo.

Deixo-me levar para o cansar e ele continua a puxar, sempre cheio de vida! Até que o peixe decide virar na minha direção e coloquei logo a rede para o apanhar.

Quando dou por mim, tinha dado uma volta completa! Surreal a força destes peixes!

O maior do dia! 1,195kg

Este valentão deu uma luta fantástica!

Acabou por ser o maior do dia e das jornadas, com uns belos 42cm e os seus 1,195kg. Um belo achigã, sem dúvida alguma ficará guardado na memória.

Talvez 2 lances depois e ainda no mesmo sitio, volto a ferrar um peixe mal o spinnerbait tocou na água mas este já era um peixe mais pequeno com 30cm :)

Com a luz a diminuir e um longo percurso aquático para percorrer, dei por terminada a pesca, aproveitando a força do vento para me ajudar a deslocar para onde tinha o carro.

O descanso do guerreiro

Terminou assim o 4º e último dia desta fantástica aventura que espero poder repetir por muitos e muitos anos, desde que haja saúde e condições para tal.


Para terminar, algumas considerações/constatações:

  • Neste último dia, foram percorridos 2,4km de manhã e 1,5km de tarde (aproximadamente, claro) dando um total de 3,9km sempre a dar à perna!
  • Antes destes 4 dias, nunca tinha feito uma captura com jig, foi uma estreia e penso que aprendi um bocadinho mais com esta experiência;
  • A pescar de pato perdi muito menos material que a pescar da margem, o facto de poder colocar-me por cima do sítio da prisão e tentar "contornar" ajuda bastante;
  • Em dias de vento o pato torna-se bastante complicado de controlar, mas depois de aprender a controlar e "dominar" o posicionamento, pode-se usar o vento a favor em alguns casos;
Espero que tenham gostado, tal como referi no início deixo-vos aqui o video resumo dos 4 dias!
Fiquem bem e até à próxima!

Ler mais »

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Duas pescas à chumbadinha nas férias curtas

 Olá a todos!

Venho-vos relatar duas pescas à chumbadinha feitas durante uma curta semana de férias.

A primeira pesca foi logo no primeiro dia de férias ainda aqui pelo Norte, onde defini que só voltava para casa quando tivesse pescado o que iria ser o meu almoço.

Uma manhã bonita, com o céu nublado e o mar a trabalhar bem, prometia ser uma manhã em grande!

Mas o que parecia prometido, foi-se tornando um desafio. Pouca actividade, quase sem toques e nada parecia funcionar. A maré foi descendo e fui acompanhando a descida avançando no pesqueiro em busca do peixe.

Muda-se a espessura do fio, o peso na chumbadinha, experimenta-se com pião... Nada estava a dar resultado!

Até que finalmente tenho um toque mais firme, faço a ferragem e lá está, o primeiro sargo do dia! Não era nenhum gigante, mas pelo menos já tinha o suficiente para o objectivo - peixe para o almoço.

Sargo para o almoço

Depois desta captura continuei à procura mas tinha coisas combinadas e o tempo já estava a esgotar, para além do mar estar a ficar cada vez mais forte.

Seja como for, objectivo cumprido com sucesso!


Passaram-se uns dias e as verdadeiras férias na costa alentejana chegaram. Umas férias curtas, com companhia e num local assim, requer alguma ginástica para conseguir encaixar uma pesca.

Lá consegui encaixar uma pesca num fim de dia, apenas para ver se conseguia enganar algum peixinho para o almoço do dia seguinte.

Acompanhado pela minha namorada, fomos procurar um sitio que fizesse o mínimo de feição para enganar uns sarguitos. Como o primeiro local estava cheio de gente, deslocamo-nos para outro spot, este sim vazio e completamente à vontade.

Preparo o material, faço o primeiro lançamento e digo eu na brincadeira "espera um bocado que já vou tirar peixe".

Primeiro lance para a esquerda de uma pedra mesmo por baixo da falésia não deu em nada. Lanço agora para a esquerda dessa mesma pedra. Um toque, outro mais vigoroso e faço a ferragem e digo-lhe "Já está, tenho peixe!"

E começa uma bonita luta do alto da falésia com o peixe lá em baixo! Pelo bater e arranques vigorosos, percebi que não era um sargo, mais ainda quando a zona onde estávamos é propicia ao aparecimento das douradas. E eu a pescar com um 0,23mm no estralho....

 Aguento o peixe o quanto posso, deixo-o cansar à vontade para depois tratar de o puxar cá para cima - não tenho rabeca.

Peixe dominado, seguro bem a cana, começo a dar ao carreto. E a cana cada vez mais dobrada...

Continuo a dar à manivela, quando sinto que já está perto o suficiente, levanto a cana para o lado e lá vem o peixe do dia!!

Bonita dourada à chumbadinha ao pôr-do-sol!

Uma bela dourada! A minha primeira dourada à chumbadinha e capturada logo ao segundo lançamento!

Eu tremia por todos os lados, foi surreal!! Nem conseguia iscar direito para lançar novamente.

Novo lance, desta vez para a mesma zona (direita da pedra) e pouco depois, mais um toque e mais uns arranques fortes! Esta é maior que a anterior!

Controlo o peixe o melhor que posso, deixo-o puxar à vontade para se cansar antes de iniciar a subida. Começo a puxar devagarinho e após talvez umas 5 maniveladas acontece... O peixe desferrou-se quando já estava a subir.

Fiquei de rastos. Um sabor amargo na boca, daqueles que custa bastante a superar.

Pensei que a linha tivesse partido, mas quando fui verificar ainda tinha tudo, inclusive o isco o que me levou a concluir que estaria mal ferrada (ou ferrada pela beiça) e ao levantar acabou por se soltar.

Ainda voltei a lançar novamente e a experimentar outros iscos, mas o sol já lá ia. E pescar no escuro num sitio em que era preciso lances com precisão bem juntos à pedra, não ia funcionar... Tivemos que dar por terminada a pesca com uma bela dourada capturada e outra que escapou!


No dia seguinte bem cedinho voltei ao mesmo local (desta vez sozinho) mas depois de procurar e procurar, nem um único peixe consegui enganar. As águas estava muito abertas, quase não mexiam de tão paradas e nos poucos sítios onde senti peixe deviam ser demasiado pequenos.

Seja como for, fica aqui o registo das duas capturas à chumbadinha em modo férias com o grande destaque para a primeira dourada da minha Vega Bullfight Nitro :)

Deu uma bela refeição!

Dourada grelhada

Fiquem bem e até à próxima, espero que tenham gostado!

Ler mais »

quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Duelo aos Lucios-Perca! - Video

Olá a todos!

Hoje trago-vos um relato de há algum tempo, mas que devido às mil e uma coisas que entretanto se intrometeram foi ficando por contar, mas agora aqui está!

Recebi uma chamada do meu amigo Nuno a desafiar-me para uma manhã de pesca cujo alvo era os lúcios-perca, e claro, aceitei o desafio!

Acordar cedo e cedo erguer, lá fomos nós uns lances fazer! A viagem foi uma risota como costume e num instante estávamos a pescar.

E não demorou muito para eu tirar o primeiro do dia, um bonito lúcio-perca numa manhã fresca demais para um dia de Verão!

Primeiro lúcio-perca do dia!

Passado um bocado, o Nuno ferra um bom peixe mas, vá-se lá saber porquê, pôs-se a olhar pro céu e a contemplar uma rola brava que passava por ali... Ora, claro está que o peixe não tem asas, mas voou dali para fora desferrando-se logo de seguida!

Foi uma galhofa autentica, por causa de um pássaro!

A manhã foi passando devagarinho mas o peixe não andava por ali. Ora, se o peixe não anda por ali... Mudamos de sítio! E em boa hora o fizemos!

Pouco depois de chegarmos ao novo spot, eu ferro o meu segundo peixe do dia. Estava a ganhar vantagem, 2-0!

Eis o segundo!

Logo de seguida, o Nuno trata de tirar o primeiro dele (desta vez não passou nenhuma ave para o distrair) e fica perto de igualar-me.

O primeiro do Nuno!

Ora se estava 2-1, rapidamente passou a 2-2 pois o Nuno ferra outro! O duelo estava a fervilhar por esta altura....!

O segundo do Nuno

Eu chego-me um pouco mais para o lado e digo ao Nuno "vou tirar aqui o meu terceiro, vais ver!"

E não é que foi mesmo? Ele bem tentou "enxotar" o peixe, mas estava bem ferrado e tinha que vir cá para fora :)

Terceira captura do dia para mim

Com a hora de almoço cada vez mais perto, começamos a bater a margem em direção ao carro, parando no mesmo sítio onde tivemos mais actividade pela manhã.

E num ápice, eu tiro mais um (que acabou por ser o maior da manhã) !

Eis a quarta captura!

E enquanto eu estou a libertar o peixe, o Nuno quase se engana e pega na minha cana... Lá pega na cana correcta, lança e tira outro, de seguida! Está 4-3, muito renhido!

A terceira captura do Nuno!

Sentindo que a liderança estava em risco, eu tiro mais um para tentar consolidar a vantagem que tinha. 5-3, será que vai terminar assim?

Mais um lúcio-perca para o Nuno, a liderança estava ameaçada! 5-4 é muito próximo, basta mais um peixe para um empate e quem sabe uma derrota!!

A última captura do dia....?!

Mas desta vez... Levei a melhor e acabei por "ganhar" este duelo entre amigos :) O resultado final? Ferragens brutas, arranques bonitos e uma manhã bem passada junto à água. Ah pois é, o total? 5-4 mas isso é o que menos importa :)

Venham mais manhãs assim!

E caso tenham curiosidade em ver como foi passada a manhã, deixo-vos o video das capturas!


Espero que tenham gostado, até à próxima!

Ler mais »

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Finalmente, um Robalo decente!

Olá a todos!

É verdade, finalmente consegui enganar um robalo decente, digno desse nome, pelas águas do Norte!

Numa investida com algum feeling à mistura, fui fazer uma investida nocturna. Ainda desafiei alguns companheiros habituais nestas lides, mas nenhum tinha disponibilidade. Lá fui eu sozinho ver o que o mar me dava!

Comecei a fazer os primeiros lances numa zona que já me deu alguns resultados mas o mar não mexia como eu gosto. Entre os lançamentos observei que, mais para o lado numa zona normalmente rochosa, havia um extenso areal de umas boas dezenas de metros com um belo espumeiro.

Decisão tomada, vamos lá ver se ao longo deste vasto espumeiro andam robalos!

Com água perto da cintura, fui fazendo lances atrás de lances e acompanhando as correntes, até chegar a uma zona que dava a entender ser um pequeno fundão, com correntes a puxarem para fora e não para o lado.

Faço um lance puxado para fora e bem longe, dou umas 10 maniveladas (se tanto!) devagarinho e a sentir a amostra quando eis que acontece.... O desejado ataque!!

Uma boa pancada, seguida de uma corridinha e depois cabeçadas ocasionais. Não levou muito fio, mas também não facilitava a recolha.

Ou era um peixe mais pequeno que entretanto apanhou algas e estava a fazer bastante atrito, ou era um robalo já jeitoso - pensei eu enquanto ia recolhendo com calma linha.

Já bem perto consigo vislumbrar o lombo e tirei as dúvidas: era um belo robalo ferrado! Acendo a luz e parece que ganhou pilhas, deu mais umas 2 corridas!

E como tinha água pela cintura, a cobrança não ia ser fácil, mesmo com o grip. O que fazer? Ir com calma para água mais baixa e lá sim, pegar no peixe.

Eis que acontece algo fantástico e surreal. O peixe decide ir à minha frente, por vontade própria, em direcção à areia e zona mais baixa. Não era eu que o puxava para a areia, era ele a mim! Incrível! :)

Já em zona baixa, deito-lhe a mão, o grip e faço a festa!! Que belo robalo!!

Robalo de 2kg!

Bonito robalo e gradeiro sorridente :)

Um belo robalo de 2,1kg mas de barriga vazia, bem magro...

Ainda voltei à carga durante cerca de 1h30, mas para não variar, era cardume de um. Ah, mas que belo cardume! Por fim a fasquia dos 2kg foi ultrapassada nas águas do Norte! :) 

Agora que venha o próximo e que seja ainda maior que este ;)

Robalo do cardume de um!

Finalmente, um ROBALO!
Ler mais »

terça-feira, 4 de agosto de 2020

Pesca aos Sargos - Poucos, mas Bons!

Olá a todos!

Mais uma pesca dedicada aos sargos numa manhã agradável, com boas previsões no geral, tirando o facto da água estar um pouco tapada por causa da nortada que tem estado.

Cana pronta, isco na água e ao fim de uns 15mins à procura do buraco onde eles poderiam andar sinto peixe. Ferragem e pouco depois já estava cá fora o primeiro! Um bom sargo, bem riscado e tons escuros. Um sargo que certamente andaria ali pela pedra há bastante tempo...!
Primeiro sargo do dia!
Depois desse peixe, a actividade reduziu-se a praticamente nada. Mais fora, mais encostado, mais à esquerda, mais à direita, ali naquela pedra, aqui nesta pedra... Nada mexia!

Foi então ao fim de 1h30 que finalmente sinto peixe a comer, espero pelo segundo toque e faço a ferragem. E lá vamos nós!

Um valente peixe, lutador! Por estar a usar linha fina (fluor 0,20mm) tenho o drag aberto o suficiente para não complicar e este ainda me levou um bocado de linha!!
Cansei o peixe longe da escoa e quando me pareceu já estar dominado, comecei a puxar para mais perto, sempre aproveitando as ondas. Como era claramente um peixe pesado, não poderia levantar a peso.
Então aproveitando as ondas, fui puxando entre pedras e poças até a uma zona onde poderia descer para lhe deitar a mão....

E já está! Que sargão, gordo, escuro!!
Sargalhão quase quileiro!

Um sargalhão e um sorrisão!
Não é um recorde pessoal, mas apenas um recorde da zona para mim. É até à data o meu maior sargo tirado pelo Norte desde que comecei com este tipo de pesca! Em casa acabou por pesar 875g, apenas a 125g de ser um quileiro...!

A manhã estava complicada, mas pelos vistos estavam a ser poucos, mas bons!

Voltei à carga e mais uma vez tive que procurar muito bem para descobrir onde estavam.
Foi preciso meia hora para voltar a ter um toque e ferragem! Pena que a tendência de ser cada vez maior não se confirmou e este acabou por ser o mais pequeno da jornada :)
Terceiro sargo e último do dia
Depois do 3º peixe, simplesmente não tive mais nada de nada. Os peixes que ferrei, vieram para fora e ainda tive direito a um bem grande, por isso não me posso queixar!
O resultado de uma manhã difícil

Grande,  médio e pequeno

Poucos, mas bons!

Foi uma manhã dura, complicada para enganar uns peixinhos mas foi bem recompensada.

################################

Numa outra manhã com previsões no ponto voltei a aventurar-me nas pedras em busca dos amigos dentuços. Tudo fazia prever que fosse uma manhã produtiva! Excepto aquilo que eu suspeitava que fosse acontecer, e de facto aconteceu... A água estava um bocado tapada e com algumas algas aqui e ali.

Nada de desanimar, é preciso é arriscar mesmo assim pois voltar para a cama eu não volto!

Foram precisos 45m para finalmente sentir peixe, depois de muito procurar. Mas assim que senti peixe, ficou logo ferrado e já cá cantava o primeiro sargo do dia!
Eis o primeiro sargo!

Sargo escuro, das pedras
Depois disso, mais nada mexeu. Procurar, lançar mais fora, mais perto, mudar o peso da chumbadinha... Fui tentando alterar algo, até encontrar o que funcionaria melhor. E eis que ao fim de 1h, começo a sentir uns toques tímidos na isca.

Andava ali peixe... Volto a lançar para a mesma zona depois de renovar a isca e foi tiro e queda! Eis o segundo sargo!
O segundo sargo já compôs as coisas

Volto a iscar, repito os passos e assim que sinto peixe, faço a ferragem e.... A linha parte. Eis o problema de pescar fino, à menor falha lá vai tudo...

Volto a iscar e o peixe ia dando algum sinal mas de forma muito tímida e esporádica. Foi preciso precisamente mais 1h para voltar a ter um peixe cá fora!
Terceiro sargo do dia, quando começavam a ter mais actividade!

Nesta altura já o dia nascia com força e a hora de abandonar estava prestes a chegar. Foi pena, porque nessa altura o peixe pareceu estar a ficar mais activo, mesmo sem as condições ideais.

Trio Odemira dos Sargos

Poucos mas bons, já me fazem feliz! :)
E assim foi mais uma pesca dedicada aos sargos, novamente o numero mágico de 3 sargos, nada de especial, mas é bem melhor que voltar de mãos a abanar! :)

Fiquem bem e até à próxima!
Ler mais »