quarta-feira, 3 de junho de 2020

Aventuras pós-confinamento - Achigãs de Pato (Vídeo)

Olá a todos!

Tal como tinha referido no post anterior, o pós-confinamento coincidiu com o período em que termina o defeso do achigã. Um tema um tanto ou quanto polémico pois obviamente o peixe não decide desovar seguindo o nosso calendário mas sim o instinto. No meu caso e opinião, prefiro deixar os peixes em paz durante uns tempos.

Depois de muito pensar, muito analisar o google maps e ponderar prós e contras sobre onde seria feita a abertura, acabei por me decidir - spot novo e desconhecido foi a opção escolhida!

Bem cedinho fiz-me à estrada e com ajuda do gps cheguei direitinho ao spot. Bem escondido e limitado, ideal para tempos pandémicos!
Ainda nem tinha estacionado o carro quando avisto um bonito e felpudo esquilo de tons castanhos muito mas muito bonitos a correr na minha direcção para depois virar e trepar um muro! Tentei tirar uma fotografia já que ele parou durante uns segundos mas assim que tirei o telemóvel, lá foi ele à vida dele :)

Pequena espreitadela à água para avaliar as condições de entrada e saída do pato, preparo tudo a bom ritmo para começar a pescar enquanto está fresco pois o dia adivinhava-se bem quente...
Vamos lá!
Pato dentro de água, começo a bater alguns cantinhos. Primeiro procurando ataques de reacção, depois pescando um pouco mais lento quanto achava que tal se justificava.
Foi ao fim de cerca de 1h que num lance para a margem com um lipless crankbait, e ainda mal tinha esticado a linha, que sinto peixe!

O primeiro do dia já estava, grade não era!
Primeiro achigã do dia!

Já não é grade :)
Peixe libertado, continuei margem fora a tentar perceber onde e como estariam a comer. Não é nada fácil para quem se está a aventurar nestas andanças saber quando deve apostar num sitio com mais dedicação ou simplesmente fazer uma rápida passagem...

Fui "andando" e fazendo várias e diferentes abordagens, mas sem grande sucesso. Ferrei dois peixes pequenos mas quando já estavam perto para os recolher, soltaram-se. Menos mal, assim seguem logo a vida deles e eu sigo a minha :)

Já em plena hora de calor intenso, decido atravessar o rio para a outra margem, em vez de fazer o mesmo percurso para trás.

Vejo dois achigãs, um pequeno e um grande, a perseguir o meu vinil com underspinner mas sem convicção ou ataque. Insisto um pouco no local, sem sucesso.
Avanço margem fora e numa zona de muro coloco um vinil a imitiar um lagostim e vejo se por ali anda alguma coisa... Estaria talvez já a meio do muro quando num dos lances sinto algumo na outra ponta da linha, faço a ferragem e.... Mais um bom peixe!!
Eis o segundo achigã do dia!

E o sol já queimava bem...

Achigã capturado com lagostim de vinil

Agora sim, já estava a gostar...! Continuei a apostar no lagostim, ocasionalmente trocando para outra técnica que achasse ser mais efectiva no local mas novamente, sem grande sucesso.

O sol já estava quente demais e a fome já apertava. Voltei a atravessar o rio para a margem onde comecei e num lance para baixo de uma árvores, precisamente com o lagostim, tenho um ataque e ferro logo! Trago-o para perto, coloco a rede e já está!

O 3º do dia estava capturado!

Terceiro achigã do dia!

Achigã bem gordinho!

Catch & Release - Preservar a espécie

Por pouco não conseguia filmar a captura, pois a camera estava desligada para poupar bateria e a fé era pouca :) Felizmente ainda consegui filmar qualquer coisa! ;)

Peixe libertado, rumei para a zona onde tinha o carro e com tudo à sombra, fiz uma boa pausa para comer qualquer coisa, beber bastante água e dar sinais de vida para contar como estava a correr até ali o dia.

Da parte da tarde apostei na zona onde fiz a estreia do pato. Acabou por não ser uma boa aposta pois foi um final de tarde sem actividade, tirando um grandalhão que perseguiu bem coladinho por baixo o meu buzzbait até chegar à minha beira e voltar a afundar.

E eis o fim da linha :)
E assim foi a minha abertura ao achigã, que poderei mesmo dizer a primeira abertura pois nunca me dediquei minimamente à pesca do achigã ao ponto de fazer uma :)

Deixo-vos o video das capturas, espero que gostem!
Espero que tenham gostado deste (e dos restantes) relatos pós-confinamento, tal como eu e que agora tento transcrever para texto o que vivi e senti :)
Ler mais »

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Aventuras pós-confinamento - Chumbadinha

Mais um relato do pós-confinamento, desta vez a modalidade será a chumbadinha. Uma pesca muito praticada na zona Centro e Sul mas, devido à morfologia da costa Norte de Portugal, pouco usual por estas bandas.

Esta foi a primeira investida que fiz depois do confinamento. É uma pesca tranquila e segura, que costuma dar para sentir peixe e ainda por cima as previsões estavam ideais para tal!

Foi a muito custo e medo que saí de casa nessa manhã. Tudo parecia tão estranho, tão tranquilo e assustador ao mesmo tempo. Quase ninguém na rua, na estrada. E saber que há um vírus algures a matar pessoas aproveitando-se das suas debilidades...

Carro estacionado, fui a passo bem acelerado até ao pesqueiro (não queria me cruzar com ninguém), e por fim respirei de alívio quando vi o mar. Foi como um desabar de stress acumulado, de tensão aliviada , só por ali estar.

Surreal.

Montei a cana, isquei o anzol e fiz o primeiro lançamento. Dei por mim a tremer, tremia por todo lado. Um misto de emoção com sei lá o quê, estava a apoderar-se de mim, quando sinto uma outra mas boa vibração - o primeiro toque!

Continuei a sondar a zona, à procura do buraco onde os sargos poderiam andar e eis que.... Ferro um!
Não foi uma luta lendária, com puxões de linha e tentativas heróicas para o tirar da água. Foi simples e banal, aguentar um bocadinho até estar cansado e aproveitar a onda para o puxar para cima da pedra.

Mas porra..... SOUBE TÃO BEM!!!! Eu estava, de facto, feliz. Foi como se o mundo estivesse a dizer que está tudo bem, mesmo sabendo que não está.
Primeira captura após confinamento
Não era muito grande, talvez uns 23-25cm, e por isso devolvi ao mar. Merece a sua liberdade, pois também me ajudou a libertar.

Continuei a pesca, estava difícil dar com eles. Quando me voltei a cruzar com um, o fluorcarbono rebentou depois de 3 ou 4 cabeçadas. Estaria danificado? Teria o peixe cortado com os dentes? Passou na rocha e cortou? Não saberei :)

Andei o resto da manhã a tentar descobrir onde estariam, até que quase no cair do pano e prestes a desistir, lá consegui enganar mais um sargo e este sim de tamanho jeitoso!
Segundo sargo
Estava feito o dia, já podia voltar para casa de sorriso na cara e pronto para enfrentar melhor os dias maus que poderão estar para vir!
Resultado da primeira aventura!

Sorriso após tanto tempo....

################################

Mas se a primeira pesca teve um efeito revitalizador, esta que se segue foi completamente alucinante!!

Foi mais uma investida matinal antes do trabalho. A maré a subir, mar com bom toque, sem vento. Previsões de luxo! Não tinha muito isco, mas arrisquei na mesma. Começo a pesca da forma habitual, mas não sentia peixe em lado nenhum.

Fui procurando aqui e ali, lá comecei a sentir alguns toques mas sem ferrar peixe.

Ao fim de 1h de busca, lá saiu o primeiro! E eu obviamente todo contente, porque já não ia ficar de mãos a abanar :)
Primeiro sargo do dia!
Insisti mais um pouco no spot, sinto um peixe a ratar a isca. Ferro rápido, o peixe dá umas cabeçadas e deixo de sentir tensão. Lá se foi mais um anzol na boca....

A actividade volta a desaparecer e eu volto a mexer-me à procura. E em boa hora o fiz!

Lanço para uma zona com um aspecto muito bom, deixo o chumbo pousar e... Peixe!! Mais um sargo a subir à pedra!!
Segundo sargo!

Estava a correr bem!
Daí para a frente, até a hora de ir embora (que coincidiu com o fim do isco) senti sempre peixe e fui tirando mais alguns! Se me lembro bem, fugiram mais 1 ou 2 depois de ferrados e tive uns bons ataques que não deram em nada. :)
Mais um sargo!

Sargo escuro, o chamado "sargo da pedra"

Quando acabou a isca experimentei durante um bocado lingueirão, que não gosto tanto (levei já a contar ficar sem isco). E não é que nos últimos lançamentos ainda senti peixe e cheguei a ter mais um ferrado (fugiu.)??

Estavam bem activos e a comer bem, nunca tive uma manhã assim tão produtiva desde que comecei a fazer este tipo de pesca nesta zona!

Foi fantástico!!
Resultado final: 5 sargos! Muito trabalhinho para a Vega Bullfight Nitro 600

Pescador e a sua faina
Terminar uma pesca "express" com 5 sargos jeitosos para casa, que mais poderia eu pedir? :)
Ler mais »

sábado, 23 de maio de 2020

Aventuras pós-confinamento - Spinning

Olá a todos!

Antes de mais, espero que estejam todos bem e de boa saúde! São tempos doidos que estamos a viver e todo o cuidado é pouco...

Passando agora para a pesca.... Isto tem sido uma vingança completa! Acho que no espaço de 2 semanas e meia nunca fiz tantas investidas, de tantas formas diferentes!!
Chumbadinha, aos achigãs de pato e spinning no mar... Tem dado para tudo um pouco, 95% das vezes sozinho e quando não é sozinho, é com uma grande distancia uns dos outros.

Tal como diz o título, este relato é sobre spinning: as coisas têm andado animadas aqui pela zona, saindo uns peixes aqui e ali. Felizmente, também me têm calhado alguns mas de tamanho menor :)

Numa investida nocturna, as previsões estavam no ponto ideal para dar uns peixes interessantes e era um bocado difícil recusar aquele chamamento. Temi que houvesse mais gente a pensar o mesmo, mas acabei por não encontrar ninguém.

Chegado ao local, comecei a apostar nas armas que já deram resultados por ali com as mesmas condições. Lançamento atrás de lançamento, fui aguardando a viragem da maré - costuma ser nessa altura que o peixe por ali anda a alimentar-se.

Dito e feito, estava a maré a entrar no ponto de viragem e tenho o primeiro ataque e ferragem com sucesso! Um robalote atrevido deixou-se enganar, tirei-lhe uma foto antes de o libertar para daqui a uns anos o lembrar de como era quando era pequeno ;)
Primeiro robalo pós-confinamento!

Robalo com Black Minnow 120
Sabe bem, depois de praticamente 2 meses enfiado em casa, sair um pouco e sentir a cana a bater. É destas vibrações que um pescador precisa para ficar bem.

Passaram exactamente 10min e tenho outro robalo ferrado do mesmo calibre que, apesar de nervoso e energético, não chega a lutar muito :) Rapidamente o ponho a seco e também ficou o registo antes de voltar para o mar :)
Robalote & Black Minnow

Sorriso não engana - já não é grade!
Depois disso, nada... Mas sejamos realistas, importa? Não, não importa nada.


Revitalizado e pronto para outra!


E assim foi, depois desta investida tive um final de dia muito agressivo, com mar instável onde o peixe pequeno/médio deu um curto sinal e apenas me tocou um pequeno que mal chega à pedra solta-se e lá volta para a água.



Numa outra aventura, num amanhecer bonito e como já não via há muito, acho que apanhei o robalo mais pequeno de sempre, deveria ter uns 15 ou 20cm no máximo! Foi sofrida a busca por peixe nessa manhã, mas consegui não gradar graças a esse pequenote arisco :)

Não o consegui fotografar porque, mais uma vez, soltou-se e caiu numa poça que dava para o mar. Achei melhor deixa-lo seguir a vida dele e nem me esforçar para o apanhar novamente ;)



A mais recente aventura foi num fim de dia espectacular! Sozinho, só eu o mar e o sol que pouco a pouco ia desaparecendo no horizonte.
Pôr-do-sol FANTÁSTICO!
Comecei numa zona com bom aspecto ainda durante o dia, mas nenhum sinal do peixe. Com o aproximar da viragem da maré, procurei outro spot melhor.
Chegado ao local, deparei-me com um cenário pouco usual. Havia areia em zonas que normalmente são só calhaus! Mas infelizmente não era areia nova, pelos vistos já ali estava há algum tempo...

Mesmo assim, tinha melhor aspecto que o anterior e fiquei por ali.
A maré vira. Eu insisto com vinis e amostras, mas a corrente lateral é demasiada, um lançamento para a esquerda acaba numa recolha quase lateral e paralela à costa!

Continuo a insistir, enquanto a maré sobe.
Recuso um pouco, o mar está a começar a chegar ao sítio onde me encontro e está de enchio, não é para brincar nestas situações.
Começo a lançar para uma zona tipo baía e mais protegida. Apercebo-me que apesar de agora a corrente ser para dentro e fora da costa, consigo trabalhar melhor as amostras.

Já consigo fazer uma recolha mais lenta e calma agora... Pensava eu na grade eminente, quando tenho um ataque. Maldito!! Bateu 2x mas não ficou ferrado.

E agora? Já estava naquele ponto de "vai - não vai" embora, agora tenho que ficar.
Insisto. E volto a insistir. Já estavam a voltar os pensamentos gradeiros quando tenho uma valente pancada na amostra.

Peixe ferrado!!!

A escoa não facilita a tarefa de recolha, mas eu também não facilitei e dei luta! Trago-o para perto da rocha, num gesto só puxo-o para cima e fica na poça mesmo ao meu lado.

Já está!!! Não é grade e finalmente um peixe jeitoso!!
Robalo quileiro capturado com Max Rap 17
Estava mais que ganha a noite. A persistência mais uma vez deu frutos e deu-me um belíssimo robalo :)

Motivado com a captura e na esperança que mais andassem por lá, voltei aos lançamentos mas o avançar da maré e falta de actividade deram o mote para terminar a pesca.

E assim foram as aventuras de spinning no mar até agora, espero que tenham gostado!

Assim que tenha oportunidade irei publicar as aventuras aos achigãs e chumbadinhas ;)

Fiquem bem e até já!!
Ler mais »

sexta-feira, 13 de março de 2020

Abertura às Trutas 2020

Olá a todos!

Mais um ano, mais uma abertura às trutas organizada pelo PCA - Pesca Com Amostras!
No ano passado já tinha compromissos marcados e não pude marcar presença (a primeira falta em 8 anos!) mas este ano a situação foi diferente :)

Juntamos cerca de 15 bravos pescadores, alguns veteranos e alguns estreantes, para calcorrear as margens do rio Mondego numa manhã fria e nublada ameaçando várias vezes com chuva tendo apenas um objectivo - capturar e libertar as majestosas trutas!
Trocando ideias e truques
Foto de grupo - PCA
Com a foto da praxe tirada como manda a tradição, separámo-nos em pequenos grupos. Acabo eu de fazer o primeiro lançamento, quando um dos estreantes (também no primeiro lançamento) ferra uma valente truta, numa zona muito complicada!

A corrente levou a truta para baixo de uma ponte e vi a coisa mal parada! Com ajuda e alguma sorte, a cana é passada por baixo da ponte, eu desço para a água com a rede e cobro uma valente e enorme truta com uns singelos.... 47cm!! - QUE ESTREIA!
Truta de 47cm!

Estreante Filipe com a sua captura

Truta magistral!

Fateixas ficaram mal tratadas....!
Truta registada e libertada, o sangue estava a bombar e todos agora queriam ter a mesma sorte. Os pequenos grupos foram-se espalhando pelas margens fora.
Pacificidade da pesca à truta
Eu e o João apostamos numa zona mais baixa com algumas pedras mas com bastante actividade à superfície. Prometia....

Estávamos a levar um autentico baile das trutas que insistiam em mostrar que estavam activas e a comer à superfície, mas simplesmente não as conseguíamos enganar. Farto de lançar para as mesmas zonas sem sucesso, viro-me a favor da corrente.

2 ou 3 lances para um lado, outro lance para o outro.... A medalha bate 1x numa pedra.... Bate a segunda vez na pedra... E ai está!!! Um valente ataque e truta ferrada!

Deu uma grande luta e sempre perto de rochas que eu não conseguia evitar pois estava numa zona escorregadia, não tinha grande mobilidade. Tinha que a fazer chegar até mim, desse por onde desse!

Atiro a rede para a água, puxo-a para perto de mim e..... Já está! Primeira truta do ano!
Já está! Primeira truta do ano!

Primeira truta de 2020 - 40cm!

A bonita truta de 40cm lá foi libertada (ainda demorou um bocadinho a ficar cheia de vida) e voltamos à pesca. O João teve uma boa perseguição mas a espertinha já a sabia toda e não se deixou enganar.
Fomos mudando de sitio à procura de melhor sorte mas apenas encontramos uma chuva incomoda!
Já mais que molhados, regressamos ao ponto de encontro para o almoço em conjunto.

Um almoço cheio de histórias de pescarias, umas melhores e outras piores, mas no fundo o tema era o que nos trazia ali - pesca!

Depois de almoço alguns tiveram que regressar a casa (a viagem ainda é longa para alguns) e outros tinham compromissos. Mas ainda assim, alguns bravos ficaram para fazer uns lances da parte da tarde!

Eu optei por ir para a zona onde capturei a minha truta mas agora na margem oposta. Vi algumas malandras a nadar à minha frente, mas nada quiseram comigo.
Só para me chatear, num dos lances uma truta parte furiosa do sitio onde estava à caça e ataca a medalha.... Falhando redondamente o alvo!

Bem, estava feita a abertura à truta de 2020 e não me podia ter corrido melhor! :)

Agora deixo-vos o video desde dia fantástico, espero que gostem!
Se ainda não o fazem, subscrevam o canal e caso tenham Instagram sigam @pescaemviana :)

NOTA IMPORTANTE: Estamos em plena pandemia. Não há peixe que valha a pena arriscar. Fiquem em casa, cumpram as instruções que são dadas pelas autoridades e em breve todos nós poderemos voltar a fazer o que tanto gostamos.
NÃO SEJAM ARROGANTES OU IRRESPONSÁVEIS.

FIQUEM EM CASA!
Ler mais »

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

O Primeiro Achigã de 2020

Olá a todos!

Se no último relato acabei a questionar-me como poderia correr este ano, então este relato começo com um "Para já, não está a correr nada mal...!".

O título é bastante revelador do que aí vem, mas como eu gosto de escrever as minhas aventuras, vou-vos deixar aqui um pequeno relato desta captura!

Num domingo bastante frio, ventoso e chuvoso, 3 bravos do PCA combinaram ir fazer uns lances atrás dos achigãs. Era num sitio desconhecido, iria ter que apalpar terreno até descobrir alguma coisa...

A vontade de ir para dentro de água era....bastante....reduzida! Não tinha vontade nenhuma de estar ali a encher o pato, vestir o fato, por as bolsas todas. Ponderei 1x e 2x pescar apenas da margem, mas lá me passei da cabeça e decidir ir em frente :)

Lá preparei tudo (ao fim de uns bons minutos a reclamar da decisão) e com ajuda no transporte fiz o baptismo do pato deste ano - estava na água!
Armas prontas - vamos lá!
Ia palmilhando as margens, ora com jig ora com lipless crankbait, para tentar perceber onde e como estavam os nossos amigos achigãs.
Passei uns 30mins nesta abordagem, quando num lance paralelo à margem a dar puxões rápidos com o lipless à procura de um ataque de reacção....

Acontece! A cana dobra toda e o peixe começa a nadar na direção das ervas! Travo o avanço dele, e acaba por virar em sentido oposto, obrigando-me a virar o pato para acompanhar a acção!
Dá 2 saltos... E revela-se completamente, um valente achigã que ali estava!

Puxo-o para a minha beira, meto a rede e...... Já está!! O primeiro achigã do ano!!
Primeiro achigã de 2020!
Fui dar à barbatana para a beira dos colegas e que belas fotos saíram dali!
Um valente achigã!

Parece maior do que é... :)
Peixe libertado, voltei a dar à barbatana à procura de mais algum boca grande.
Não demorou muito para desta vez ser o Rúben a tirar o peixe dele. Eu estava longe, mas ouvi-os a chamar e mostrar o peixe :)
Rubén com o seu achigã
Depois disso.... Veio a chuva, vento, frio... Tudo coisas boas e animadoras para continuar a pescar! Estava um frio desgraçado, mal sentia as mãos, mas continuei a tentar a sorte até a hora de almoço.

Fomos todos almoçar ali perto num restaurante, já que estava chuva e um pouco de conforto também faz bem!
Conversa vai, conversa vem (sempre sobre ou relacionado com a pesca) e quando acabamos de almoçar voltamos ao mesmo local.

Desta vez fiquei pela margem! Tentamos de tudo um pouco, mas não queriam nada connosco!
Fui aproveitando para tirar umas fotos ao belo pôr-do-sol, um grande contraste com a manhã que tivemos... Chuva nem vê-la!
Um lipless sunset!
Quando o Gonçalo chega à nossa beira, tinha enganado dois pequenotes. Menos mal, assim toda a gente tira peixe!

Antes de irmos embora, o Gonçalo ainda tirou mais 1 que ainda deu para umas boas gargalhadas :)
Gonçalo e o último verdinho!
Assim se passou mais um dia dedicado aos verdinhos!
E como tem sido habitual, levei a minha câmara para fazer umas filmagens e... Aqui vos deixo o vídeo da captura!


Espero que gostem, até à próxima!
Ler mais »